Prefeitura de Porto Nacional decreta toque de recolher e proíbe a venda e consumo de bebidas alcoólicas em estabelecimentos

0
0

A prefeitura de Porto Nacional adotou novas medidas restritivas de combate ao novo coronavírus. Entre as regras estão a suspensão de atividades em academias, a proibição da venda de bebidas alcoólicas em vários tipos de estabelecimentos e o horário limitado para o funcionamento do comércio. Além disso, a partir desta sexta-feira (7), os moradores serão proibidos de andar nas ruas durante parte da noite e na madrugada.

  • Veja como está o crescimento de casos de Covid-19 em Porto Nacional

O decreto foi divulgado nesta quarta-feira (5), um dia após a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, dizer que não decretaria lockdown se cidades vizinhas não aderissem. Porto Nacional tem 1.259 pessoas infectadas com a Covid-19 e 14 mortes pela doença.

Conforme o novo Decreto Municipal, o comércio só poderá funcionar das 5h às 20h, exceto postos de combustíveis e borracharias que ficam às margens das rodovias. A medida vale pelo período de 15 dias.

Os bares e distribuidoras de bebidas não podem receber clientes e só poderão oferecer o serviço delivery até às 20h. Além disso, a venda, entrega ou consumo de bebidas alcoólicas em pizzarias, lanchonetes, lojas de conveniência, pastelarias, espetinhos, quiosques e outros estão proibidas. Os donos desses estabelecimentos também não podem armazenar, estocar e expor bebidas alcoólicas.

Conforme a Prefeitura não é permitido realizar festas, eventos e comemorações em residências, chácaras, clubes e afins. O morador que descumprir esta determinação pode ser punido.

A restrição da circulação noturna também foi imposta. O decreto informa que será proibido a permanência e o trânsito em locais públicos das 21h às 5h. As restrições não se aplicam aos trabalhadores que atuam nas unidades públicas ou privadas de saúde, segurança, limpeza pública, e manutenção de serviços de água, esgoto e energia. “Estarão fora desta determinação, os deslocamentos pra ida e vinda a serviços de saúde ou situações que fique comprovada a urgência”, informou a prefeitura.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA