Comissão de saúde da OAB/TO cobra resultado da distribuição de vacinas contra Covid

0
467

A Comissão Especial de Saúde da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins, em reunião com o presidente da OAB/TO, Gedeon Pitaluga, manifestou preocupação com a distribuição de vacina contra a Covid-19 pelos municípios do interior do Estado. Outra preocupação abordada é que pessoas não pertencentes aos grupos prioritários furem a fila de vacinação, como teria ocorrido em outros Estados brasileiros.

Até o fechamento desta matéria, os dados do Ministério da Saúde (MS) mostram que o Tocantins havia imunizado 14.145 pessoas, o que equivale a apenas 0,89% da população do Estado. No Brasil, o total de doses aplicadas é de 3.816.951. Durante a reunião com membros da Comissão Especial de Saúde da OAB/TO, foi realizada uma teleconferência com o Secretário Estadual de Saúde, Edgar Tolini, que se comprometeu em atualizar os dados sobre a vacinação e torná-los públicos, encaminhando-os a OAB/TO para acompanhamento institucional.

“A OAB/TO tem compromisso com a defesa da sociedade e sem dúvida lutará pelo acesso à saúde em tempos de pandemia é uma das nossas prioridades. Os critérios de prioridade devem ser seguidos a risca e tanto a população quanto os profissionais do interior não podem esperar pela imunização. Cada dia de atraso pode significar a perda de uma vida”, destacou o presidente da Ordem, Pitaluga.

Na ocasião, os membros solicitaram para a OAB/TO cobrar a atualização do relatório de resultado da vacinação nos municípios e sugeriu a interlocução com a Associação Tocantinense de Municípios (ATM) para a sensibilização e orientação quanto à distribuição dos materiais nos interiores.

“A OAB/TO estará sempre atenta sobre as responsabilidades da União, Estado do Tocantins e municípios em relação ao Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, e, neste sentido, em especial a efetivação da vacinação da população-alvo definida, sobretudo quanto ao tratamento isonômico que deve ser buscado quanto as prioridades de vacinação, tratando igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na exata medida de suas desigualdades”, ressaltou o presidente da Comissão Especial de Saúde, Ulisses Nogueira Vasconcelos.

Membros da Comissão Especial de Saúde também se posicionaram sobre o assunto. “A OAB/TO preocupa-se com o plano de vacinação nos seus municípios, tendo em vista que a vacinação em massa, além de remédio eficaz à crise sanitária a qual vivemos é também meio indispensável para retomada da economia e normalidade das atividades. Esta comissão ficará vigilante, atuante e auxiliando os entes responsáveis a fim de garantir a efetiva e eficaz distribuição e vacinação dos grupos prioritários”, disse o diretor da comissão de saúde, Carlos Benevides.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA