Comitiva composta de autoridades e imprensa produz relatório sobre problemas da região do Jalapão

Views: 90

Está previsto para esta semana a entrega de um relatório ao ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, um dos principais auxiliares do presidente Jair Bolsonaro, no qual contém uma descrição detalhada da precariedade das estradas que dão acesso ao Jalapão, precisamente as rodovias que ligam Palmas a cidade de Mateiros pelos trechos de Novo Acordo e Ponte Alta do Tocantins. O estudo realizado por autoridades do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, entre os dias 04, 05 e 06 do corrente mês, acompanhado por este jornalista, por um integrante da assessoria parlamentar do senador Eduardo Gomes e pelos prefeitos de Mateiros, João Martins, de Taguatinga, Miranda, e de Chapada da Natividade, Joaquim Urcino, ouviu dezenas de moradores da região, autoridades, representantes de entidades civis, como as comunidades quilombolas de Mateiros, Mumbuca, Boa Esperança, Rio Novo e Carrapato, acerca da complexidade das condições de vida enfrentadas pela população em todas as suas variáveis. O presente documento já se encontra nas mãos da ministra Damares Alves. No entanto, o que vai ser entregue ao general Augusto Heleno reivindica que a construção de uma das rodovias até Mateiros seja executada pelo Exército Brasileiro.

O Jalapão, situado a Leste do Tocantins é, indubitavelmente, uma das regiões mais promissoras do turismo nacional, sobretudo após grande parte das cenas da novela “O Outro Lado do Paraíso” ter sido produzida nos fascinantes locais daquele território e, consequentemente, exibida ao mundo. Por conta disso, uma revoada de turistas, vinda de todas as partes do globo, ávida por conhecer o mais novo “Paraíso Terrestre” tem desembarcado de maneira desgovernada nos polos mais atrativos, que ficam nos municípios de Mateiros e São Félix, os quais carecem urgentemente de uma política estruturante e planejada para o setor, pois, aos visitantes, faltam investimentos, por exemplo, em saúde hospitalar, segurança, estradas trafegáveis, melhoria do sistema de abastecimento de água, serviços eficientes de internet e de telefonia móvel, apoio e investimentos no setor de hotelaria, pousadas e restaurantes, acompanhado de capacitação profissional, além de recursos para que os gestores possam investir em infraestrutura urbana, como, por exemplo, saneamento básico, pavimentação de ruas e urbanização de praças e avenidas.

O direito de ir e vir

A rodovia que liga Palmas a Mateiros, passando por Novo Acordo e São Félix, possui 115,3 km de percurso asfaltado e 250 km de estrada de chão. Por sua vez, a rodovia de Palmas a Mateiros, passando pelas cidades de Santa Tereza e Ponte Alta tem 146,6 km pavimentados e 160 de terra. Na realidade, são as principais vias que ligam Palmas a região do Jalapão, cujos percursos estão no mais absoluto caos, lamaçais em toda a sua extensão, incontáveis crateras, pontes de madeira deterioradas, com a possibilidade de só chegar ao destino em carros traçados, numa média 40 km/h. Segundo o prefeito de Mateiros, pastor João Martins, muitas pessoas já vieram a óbito por conta da situação lastimável das estradas, como também são comuns os casos de mães que dão à luz filhos pelas estradas, em face dos solavancos bruscos provocados nos veículos durante as horas de viagem. De acordo com o prefeito, ultimamente os casos graves de pacientes o transporte é feito com fretamento de aeronaves pela prefeitura, gerando, com isso, custos elevados ao erário municipal.

O também prefeito de São Félix, Marlen Ribeiro, pontua que a questão das estradas é um fator determinante para o desenvolvimento da região. Sem estradas trafegáveis, segundo Marlen, não há cidadania plena, põe-se em risco, ainda, todo um projeto turístico de médio e longo prazo. “A atividade turística não pode ser realizada apenas levando em conta as belezas naturais de uma região. Precisamos criar condições, primeiro, para que esses habitantes possam se sentir preparados para as oportunidades que serão geradas pelo setor”, recomenda. Na realidade, o grande gargalo vivido pelos dois municípios, ou melhor, três, pois o município de Lizarda também se encontra neste contexto, é o delicado estado das estradas, que no inverno ficam intransitáveis pelos atoleiros, crateras e erosões, enquanto, no período de seca emerge os bancos de areia no leito das estradas, deixando-as com as mesmas dificuldades do período chuvoso, isto é, atolagem em areia movediça.

Gestores vão se unir em entidades

O Território do Jalapão é constituído de oito municípios (Mateiros, São Félix, Ponte Alta do Tocantins, Santa Tereza, Lagoa do Tocantins, Novo Acordo, Lizarda e Rio do Sono), conta uma área territorial de aproximadamente 34.281 km² e 33.745 habitantes, segundo estimativas do IBGE ainda para o ano de 2018. Porém, as desigualdades sociais e econômicas, a carência de infraestrutura, com municípios quase que no isolamento viário, como é o caso de Mateiros, São Félix e Lizarda, despertou num grupo de gestores o desejo de criar uma associação de prefeitos ou mesmo um consórcio intermunicipal com a finalidade de não só integrar a região, mas lutar por mais recursos para áreas fundamentais do interesse público.

O prefeito de Mateiros, João Martins, ao participar em Brasília de uma solenidade com autoridades do novo governo foi aconselhado a criar uma entidade de primeiras-damas da região, com vistas a facilitar o ingresso de benefícios sociais. Segundo essas autoridades, o correto seria que na visita da primeira-dama Michele Bolsonaro a Mateiros, prevista para maio ou junho, a entidade já estivesse juridicamente em funcionamento. O prefeito e a sua esposa, Mariene Martins, já estão estabelecendo contatos com as primeiras-damas e prefeitos de outros municípios a fim de que a iniciativa tenha êxito.

Para o prefeito de São Félix, Marlen Ribeiro, esse é um momento sobremodo ímpar para os prefeitos tanto do alto como do baixo Jalapão se organizarem. Marlen se colocou à disposição para colaborar no que for possível, citando, contudo, as dificuldades enfrentadas para gerir um município distante e com os acessos quase que bloqueados, tanto para sair como para retorno. “Estou pronto para colaborar para que a nossa região venha contar com mais benefícios, que encurte as distâncias entre nós, Mateiros e Lizarda e o centro do poder estadual, e que os nossos representantes vejam o sacrifício dos que buscam saúde e enfrentam as condições degradantes das nossas estradas. Em resumo, precisamos de que todas as ações governamentais cheguem de forma mais efetiva e diferenciada nessas regiões de poucos investimentos públicos”, salientou.

Por Goianyr Barbosa

Source:ATM
Comments: 0

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

0

Your Cart